A Secretaria da Saúde do Paraná apresentou hoje (19) em reunião extraordinária da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) o Projeto de Organização da Saúde Mental no Estado.

São ações que envolvem todas as macrorregiões abrangendo as áreas da Atenção Primária à Saúde, Atenção Ambulatorial e Especializada e Atenção Hospitalar.

“O contexto da pandemia da Covid-19 que vivemos há um ano e meio acentuou as questões ligadas à saúde mental”, disse o secretário de estado da Saúde Beto Preto.
“A pandemia alterou a vida como um todo, nas relações sociais, familiares, de trabalho, e principalmente nossos sentimentos e emoções; somos impactados diariamente com números e fatos mundiais que acabam gerando consequências para a saúde mental; por isso precisamos alinhar as ações para este momento e  também para o pós pandemia que continuará refletindo nesta área”, afirmou Beto Preto.

PROJETO – Entre as principais ações apresentadas é a reativação do Grupo Condutor Estadual em Saúde Mental; atualização da estratificação de risco em saúde mental, capacitação profissional para os profissionais que atuam na área, e 57 propostas de credenciamento de serviços de saúde mental junto ao Ministério da Saúde.

“A proposta dos novos credenciamentos será, inclusive, um dos temas de nossa pauta com o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que estará amanhã no Paraná”, informou Beto Preto.

Hoje a Sesa investe mensalmente junto ao Serviço Integrado de Saúde Mental cerca e R$ 467 mil, em estratégias para funcionamento dos Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas e  Unidade de Acolhimento de pacientes.

O projeto prevê ainda, para a atenção hospitalar, a qualificação de leitos de saúde mental nos hospitais próprios do Estado, iniciando pelo Hospital da Zona Sul de Londrina, em 2022. O número de leitos ainda não está definido.

EXPECTATIVA – O presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (Cosems-PR), Ivoliciano Leomarchik, disse que os gestores aguardavam este projeto com grande expectativa. “A busca por serviços na área vem aumentando com a pandemia e contamos com estas medidas para ampliarmos o atendimento”, disse.

A diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes, ressaltou que o projeto parte das premissas do Plano de Regionalização Integrado (PRI) e do Plano Estadual de Saúde (PES) para a revisão da Linha Guia de Saúde Mental. “Estamos apresentando um projeto que vem sendo construído há alguns meses pelas equipes técnicas da Sesa, incluindo as das Regionais de Saúde, e dos municípios, que agora será submetido à avaliação mais ampliada, inclusive nas práticas intersetoriais. Com a pactuação, as medidas já podem ser executadas”, disse a diretora.